terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Boas Festas...


Que esse Natal seja uma linda festa para todos e que 2014 seja um ano tão maravilhoso como foi 2013.Um ano repleto de realizações,sonhos possíveis,de grandes emoções,muito brilho,muita luz,união,paz e harmonia.
Fé no Amor,na Vida e Esperança de um mundo melhor! Ainda,é possível sonhar... São os meus sinceros votos aos amigos,seguidores,simpatizantes do Panela Chic.Grande abraço a todos. Com carinho.

*Márcia Perez.M.

Que Deus ilumine nossas vidas,nossos filhos,nossoss irmãos e o nosso Amor.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Que 2013 seja muito melhor que 2012...que foi um ano pálido,sem graça,sem grandes emoções,sem grandes acontecimentos,monótono e sem brilho... Saúde,paz,luz,dignidade e muitas felicidades a todos os seguidores,simpatizantes,admiradores e amigos do Panela Chic. Em breve estaremos de volta. Grande abraço. ;-)

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Mudança de email: panelachic@post.com

domingo, 11 de setembro de 2011

Quem bicou...

estatisticas gratis

quarta-feira, 26 de maio de 2010

REGIÃO SUDESTE



  • A região Sudeste do Brasil é uma das regiões definidas pelo IBGE, composta pelos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Esta região é por excelência uma terra de transição entre a região Nordeste e a região Sul. Para se fazer essa divisão foram usados critérios como semelhanças naturais, tais como relevo, clima, vegetação e solo, bem como afinidades socioculturais.

    Região mais populosa e rica do Brasil, o Sudeste ocupa 10,85% do território brasileiro. Altamente urbanizada (90,5%),[4] abriga as três metrópoles mais importantes do país, as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, além de ser o maior colégio eleitoral do Brasil.

  • No Estado de Minas Gerais, que geograficamente integra a Região Sudeste, é fundamental provar três delícias: a galinha ao molho pardo, a leitoa pururuca e o tutu de feijão com torresmo e couve picada. Minas vai além, muito além. Com o feijão tropeiro, frango com quiabo, o arroz-de-suã a canjiquinha de milho verde com costela,rabada com batata,cenoura amarela e vermelha e também com agrião. E nas barrancas do rio São Francisco, também chamado de “Velho Chico”, uma deslumbrante fartura de peixes de pele. Para, depois, virem os doces. Em calda, cristalizados. Tudo acompanhado, à caráter, por um bom bocado de queijo de Minas. Para arrematar, um café mineiro, coado na hora, em coador de pano.

domingo, 29 de novembro de 2009

CAJUN - TEMPERO


Outro dia perguntaram-me o que vem a ser este tempero,mas só hoje vi a pergunta,desculpe-me pela demora...Qualquer dúvida sobre as receitas,ingredientes,preparo,e temperos do Panela Chic,podem ser facilmente respondidas e esclarecidas através do email do Blog:
  • panelachic@gmail.com
Terei imenso prazer em responder a quem interessar.
Grande abraço.

  • CAJUN : Tempero originário da Argentina, o cajun é composto por páprica, sal, estragão, alho, cebola, pimenta do reino, salsa, canela, tomilho e pimenta calabresa. É típico da cozinha Creola.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

REGIÃO CENTRO-OESTE

Estados: Distrito Federal (DF), Goiás (GO), Mato Grosso (MT) e Mato Grosso do Sul (MS)

  • Introdução à Culinária do Centro-Oeste:
O Centro-Oeste brasileiro engloba três dos biomas mais ricos do Brasil, a Amazônia, o Cerrado e o Pantanal. A população que se estabeleceu nessa região desenvolveu ao longo dos séculos saborosos métodos de preparar ingredientes exclusivos do Centro-Oeste, que infelizmente passam desapercebidos para a maioria dos brasileiros. É o caso do perigoso Pequi, popularíssimo entre os goianos e que pode deixar a boca de não-iniciados repleta de espinhos. Ou da amarga Guariroba, uma espécie de palmito acinzentado.

A culinária dessa região de biodiversidade riquíssima é uma mistura das cozinhas indígena, portuguesa, paulista, mineira, nordestina e paraguaia. Os índios, habitantes originais da região, colaboraram com seus pratos à base de Peixe e Mandioca. Os descobridores portugueses com a Doçaria . Os bandeirantes paulistas com as Carnes Secas e as Farofas (de banana, de carne, de ovo).

Os mineiros trouxeram pratos à base de Porco, como o Arroz com Suã. Dos espanhóis veio o puchero, cozido com carnes variadas e grão de bico. E como a sul-mato-grossense Campo Grande chegou a abrigar a terceira maior colônia japonesa no Brasil, a culinária local têm heranças dos japoneses, como Sobá, espécie de sopa de omelete, carne de porco e macarrão frito, e o uso de shoyo em alguns pratos e na mandioca cozida.

Dos vizinhos paraguaios, a região Centro-Oeste herdou a Chipa, pão de queijo mais seco que o mineiro em forma de ferradura com pedaços de queijo meia cura ou goiabada dentro, a sopa paraguaia (que de sopa não tem nada, pois é uma torta) e o Tereré, bebida largamente consumida no Pantanal e que é uma versão gelada do chimarrão gaúcho.

O tereré (pronuncia-se tererê) é feito com o mate menos moído e menos processado que o do chimarrão. A bomba tem furos maiores, e a bebida é servida na Guampa, chifre de boi cortado.

A tradição do Cerrado reserva surpresas como o empadão goiano, o Arroz-de-Puta-Rica e a Pamonha Salgada. O Pantanal, por sua vez, “esconde” pratos como a Mojica de Pintado do Mato Grosso e o Furrundum, doce feito com o tronco do mamão. Em alguns lugares do Pantanal a Carne de Jacaré é consumida ensopada.